Bahia vence o Grêmio em Pituaçu e cola nos líderes

O até logo do Bahia ao seu torcedor não poderia ter sido mais legal. Jogando em Pituaçu, em sua última partida como mandante antes da parada para a Copa América – só volta a atuar em casa em meados de julho – o Esquadrão venceu o Grêmio, por 1 a 0, e subiu para a terceira colocação no Brasileiro.

A posição é provisória, e o time pode cair até quatro lugares com os jogos deste domingo, 2. Entretanto, ela diz muito sobre o momento do Tricolor, que chegou neste sábado, 1º, ao seu quarto triunfo consecutivo na temporada. O Bahia, classificado às quartas de final da Copa do Brasil, comemorou também seu oitavo triunfo em oito jogos em Salvador sob o comando de Roger Machado.

Agora, a equipe faz duas partidas seguidas fora de casa. A primeira é no próximo sábado, 8, às 19h30, contra o Ceará, em Fortaleza.

Começo lento

O primeiro tempo mostrou duas equipes com pouca ou nenhuma inspiração. O Bahia até se postou de maneira mais avançada do que nas partidas eliminatórias com o São Paulo, pela Copa do Brasil, mas não abandonou o esquema com três volantes, tampouco a postura reativa. E, com o pesado Fernandão como centroavante no lugar de Gilberto – vetado por conta de um desconforto muscular – o time perdeu parte de sua mobilidade.

Além disso, o fato de tentar avançar mais em relação aos últimos jogos abriu espaço para contra-ataques perigosos do Grêmio. No primeiro deles, logo aos três minutos, quase saiu o gol. Jean Pyerre lançou Montoya, mas o argentino errou ao tentar tirar do goleiro Douglas.

O Esquadrão criava quase nada. Só houve a registrar uma cobrança de escanteio aos nove minutos, em que Artur cruzou e Élber tentou de primeira, mas isolou. Já o Grêmio teve outras boas chances.

Aos 15, Jean Pyerre cobrou escanteio e Geromel testou por cima da meta. Aos 35, veio a melhor oportunidade. Pepê puxou contra-ataque e tocou para Juninho Capixaba, que cruzou rasteiro. A bola sobrou para o mesmo Pepê, de frente para Douglas. Ele carimbou o goleiro tricolor.

Bom sinal para a etapa complementar é que o Bahia, no fim da metade inicial do jogo, apresentou melhora. Num lance construído de pé em pé, pela esquerda, aos 43 minutos, Moisés recebeu dentro da área e chutou em cima da zaga. No rebote, o time ganhou a chance de cobrar uma falta em posição perigosa. Porém, Douglas Augusto acertou a barreira.

Sim, era um bom presságio, que se confirmou com o gol da abertura do placar logo aos nove minutos do segundo tempo. Artur tentou a finalização e a bola explodiu no braço de Geromel. O árbitro assinalou o pênalti, convertido com um chute potente e preciso de Fernandão.

O grandalhão, que vinha em má fase, mandou para o espaço o jejum de oito partidas sem marcar. Foi seu primeiro gol pela Série A do Brasileiro desde novembro de 2013, época da primeira passagem do atacante pelo time. Sem o peso do jejum nas costas, o camisa 20 ficou mais solto e quase marcou outro aos 19, quando completou para fora um cruzamento de Artur em cobrança de escanteio.

Quatro minutos antes, o Grêmio por pouco não empatou. Juninho Capixaba foi ao fundo e cruzou. A sobra fica com Montoya, que mandou uma bomba. A bola entraria, mas Gregore salvou.

Mas pararia por aí a ameaça gremista, que, com as entradas dos atacantes André e Diego Tardelli, passou, paradoxalmente, a ter uma produção ofensiva menor. Já o Bahia ainda poderia ter ampliado em ótimas jogadas de Nino e Eric Ramires. Mas não fez falta nenhuma. A galera foi ao delírio do mesmo jeito em Pituaçu.(A Tarde)

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.