‘Consegui acordar e escapar da morte’, diz atleta da base do Flamengo

Recém-chegado ao Flamengo, o meia Felipinho, 15 anos, atleta do Sub16, demonstrou alívio por ter conseguido escapar da morte, na madrugada desta sexta-feira (8), mas também consternação e lamento por não ter conseguido salvar outros colegas que morreram no alojamento do Centro de Treinamento do Flamengo, na Zona Oeste do Rio.

Ele e outros rapazes da base rubro-negra dormiam quando incêndio começou no quarto que ele estava. Ao todo, dez pessoas morreram e três ficaram feridas, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

Esta mensagem foi apagada minutos depois. Felipinho era da base do Santos e tinha menos de uma semana no Ninho do Urubu, onde atuará a partir desta temporada.

No local onde ocorreu o incêndio estavam jovens entre 14 e 17 anos. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 5h17. “Pelo horário, todos estavam dormindo, e isso pode ter contribuído para essa tragédia. A gente não tem as idades das vítimas. Sabemos que são jovens da base do Flamengo”, declarou o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Douglas Henaut.

Um dos três feridos se chama Cauã Emanuel Gomes Nunes. Ele tem 14 anos, é de Fortaleza e mora no Rio de Janeiro há três anos. Os outros dois garotos que estão internados são Jonathan Cruz Ventura, 15 anos, e Francisco Diogo Bento Alves, 15. Jonathan foi levado às pressas para o hospital, com 40% do corpo queimado.

Mães de atletas que estavam na porta do CT na manhã desta sexta contaram que os jogadores foram liberados do treino, e quem mora no Rio pôde dormir em casa. “Se tivesse treino hoje, a tragédia teria sido muito maior”, disse uma mãe.(Correio24Horas)

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.