Artista baiana realiza oficinas de pintura para crianças filhas de presidiários

A artista visual Kel Kondurú, 45, participou da IV Bienal Internacional de Arte Contemporânea da Argentina, que aconteceu entre os dias 10 e 15 de outubro em Buenos Aires. Para a pintora, a experiência com os hermanos foi surpreendente. “As pessoas costumam menosprezar um pouco a América do Sul em relação à arte”, lamenta, ao falar da dimensão da bienal e de como a experiência foi gratificante.

Formada em contabilidade, a artista só passou a se dedicar profissionalmente à pintura depois dos 30 anos, mas o hábito de rabiscar e pintar sempre estiveram presentes na vida dela. “Quando eu era criança, não podia ver um rosto na capa de um LP que  queria desenhar”. Suas obras são inspiradas na natureza, e sempre que pode procura um refúgio no “mato” ou em cachoeiras para pintar.

Além das galerias, Kel realiza trabalhos voluntários e leva oficinas de pintura para crianças em situação de vulnerabilidade. Uma dessas oficinas foi realizada com filhos de presidiários, e a artista afirma que a atividade auxiliava no aspecto emocional das crianças, que muitas vezes estavam com problemas de comportamento. ”É muito importante que as crianças possam ter a oportunidade de lidar com a arte e até mesmo escolher isso para o futuro”, conta. Para o ano que vem, Kel espera conseguir montar uma exposição individual em Salvador.(ATarde)

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.