«

»

mar 19 2017

Bahia bate o Galícia em dia de vexame de Hernane

750_2017318205419224

Hernane partiu para a cobrança eeeeee… ridículo!!!!!! Pode parecer estranho, mas o Bahia venceu o Galícia neste sábado (18), por 3 a 0, na Fonte Nova, e a imagem que ficou foi a do pênalti perdido por Hernane em tentativa de cavadinha. Já o som foi o das vaias da torcida.

Nos números frios, o triunfo levou o Tricolor aos 17 pontos, que fazem o time ficar provisoriamente na segunda posição do Campeonato Baiano. Neste domingo (19), pode voltar a ser ultrapassado pelo Flu de Feira. Em uma análise mais profunda, o desempenho da equipe não convenceu nem os mais otimistas. Na quarta (22), o Bahia, já classificado como líder de sua chave, volta a campo para pegar o Fortaleza, de novo na Fonte, pelo Nordestão.

O primeiro tempo na Fonte foi marcado pelo domínio do Bahia, mesmo com passos morosos, diante de um Galícia que buscava se defender de todas as formas possíveis. O Azulino, que fez uma reformulação no elenco com 12 recentes dispensas e a aquisição de novos jogadores, usou até uma numeração pouco ortodoxa para, quem sabe, confundir o adversário – Gustavo Rambo, por exemplo, usou a 9 apesar de atuar como zagueiro.

A verdade é que nada superou – nem chegou perto – a bizarra cobrança de pênalti de Hernane. A cabeçada de Edson no travessão; o chute de primeira do próprio Hernane que acabou defendido por Hugo; a chance perdida por Zé Rafael na cara do gol; a bela investida de Nelinho que quase gerou uma surpreendente abertura de placar pelo Galícia; e até mesmo o belo gol de peito de Lucas Fonseca ao aproveitar cruzamento em cobrança de falta de Juninho. Tudo ficou em segundo plano diante do que aconteceu aos 18 minutos.

Foi quando Matheus Reis cruzou e Sabino colocou a mão na bola dentro da área. Hernane tentou bater de cavadinha e recuou para o goleiro Hugo. A torcida não perdoou e o vaiou em seus toques seguintes na redonda.

Os apupos só não se estenderam de forma intensa ao time em geral porque o gol de Lucas Fonseca aos 41 minutos os abafou. Antes da descida para o vestiário, Hernane concedeu entrevista. E, ao invés do mea culpa, preferiu fazer uma promessa que certamente será cobrada pela turma tricolor: “A torcida do Bahia é isso, sempre tem cobrança. Mas a gente sabe que vem Ba-Vi aí, eu vou meter gol e a torcida esquece tudo isso”. Dia 9 de abril, na Fonte Nova. Apontamento para conferir se o Brocador faz valer a premonição.

Ontem, não deu para ele. Saiu aos 23 do segundo tempo, substituído por Gustavo, sob mais vaias. Sete minutos depois, Allione sofreu pênalti e fez bem diferente de Hernane na cobrança. Mandou uma pancada e balançou a rede.

Pela infração no argentino, Adalto foi expulso e facilitou as coisas para o Esquadrão, que, aos 31, aumentou a vantagem com Régis tocando na saída do goleiro. O meia, artilheiro da equipe na temporada, chegou a um total de seis gols. Outras jogadas perigosas foram criadas até o apito final, entretanto, sem sucesso.(A Tarde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>